Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > DACE > CQV > Setor de Promoção à Saúde Estudantil > Calendário da Saúde > Novembro Azul 2022 - Novembro é mês do azul na luta contra o diabetes e câncer de próstata
Início do conteúdo da página

Novembro Azul 2022 - Novembro é mês do azul na luta contra o diabetes e câncer de próstata

Publicado: Segunda, 21 de Novembro de 2022, 14h36 | Última atualização em Segunda, 21 de Novembro de 2022, 14h49 | Acessos: 33

Dia_Mundial_do_Combate_ao_Câncer._Dia_08_de_Abril._1.png

 

Câncer de Próstata.

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca). O câncer da próstata é um tumor que costuma ser indolente, crescendo lentamente, podendo permanecer assintomático por vários anos.

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Apesar de ser um órgão importante, cuja principal função é a proteção dos espermatozoides no líquido ejaculado, ela não é essencial para a vida.

Pacientes com doenças graves, como o câncer da próstata, podem ter a glândula retirada cirurgicamente sem que isso necessariamente acarrete maiores transtornos.

 

Sintomas:

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

  • • dor óssea;
    • dores ao urinar;
    • vontade de urinar com frequência;
    • presença de sangue na urina e/ou no sêmen.
  • • Dificuldade para começar a urinar
  • • Ao sair do sanitário, sensação de que a bexiga não está 100% vazia

 

Fatores de risco:

  • • histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
    • raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
    • obesidade.

 

Prevenção e tratamento:

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

 

Diabetes mellitus

O pâncreas é o principal órgão afetado pela diabetes. Em condições normais ele regula o nível de glicose (ou taxa de glicemia) no sangue com a produção de insulina. Mas em pessoas com diabetes mellitus Tipo 1, o sistema imunológico ataca equivocadamente as células beta do pâncreas, responsáveis pela produção de insulina, o que causa um déficit no que é liberado para o corpo. Como resultado, a glicose fica no sangue, em vez de ser usada como energia.

O Tipo 1 aparece geralmente na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticado em adultos também. Essa variedade é sempre tratada com insulina, medicamentos, planejamento alimentar e atividades físicas, para ajudar a controlar o nível de glicose no sangue. Os sintomas podem incluir:

- Sede excessiva
- Rápida perda de peso
- Fome exagerada
- Cansaço inexplicável
- Muita vontade de urinar
- Má cicatrização
- Visão embaçada
- Falta de interesse e de concentração
- Vômitos e dores estomacais, frequentemente diagnosticados como gripe.

Este quadro também pode aparecer em pacientes com diabetes mellitus Tipo 2, mas geralmente são menos evidentes. O tipo 2 da doença acontece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz, ou, não produz o suficiente para controlar a taxa de glicemia. Diferente do tipo 1, a diabetes tipo 2 não é uma doença autoimune e mesmo com fatores genéticos, está bastante associado ao excesso de peso e uma má conduta alimentar. Esse fator permite a incidência do Pré-diabetes.

O termo pré-diabetes é usado quando os níveis de glicose no sangue estão mais altos do que o normal, mas não o suficiente para um diagnóstico de Diabetes Tipo 2. Obesos, hipertensos e pessoas com alterações nos lipídios estão no grupo de alto risco. Esta etapa é a única que pode ser revertida, mas infelizmente 50% dos pacientes em estágio ‘pré’ desenvolvem a doença. O pré-diabetes pode prejudicar nervos e artérias, favorecendo diversos outros males, como infarto e derrames.

Os sintomas do pré-diabetes são chamados de ‘síndrome metabólica’ e consistem em:

- Pressão alta
- Alto nível de LDL (‘mau’ colesterol) e triglicérides; e ou baixo nível de HDL (‘bom’ colesterol)
- Sobrepeso, principalmente se a gordura se concentrar em torno da cintura.

O pré-diabetes e o diabetes tipo 2 estão associados a condições como obesidade e sedentarismo, e pode ser evitada. É possível reduzir a taxa de glicose no sangue com medidas simples como a mudança de hábito alimentar e a prática de exercícios.

A doença também pode ocorrer durante a gravidez, denominada diabetes gestacional, que se manifesta quando o pâncreas da mãe não aumenta a produção de insulina na gestação, que acaba faltando para o bebê. Essa complicação pode acontecer com qualquer mulher. É recomendado que no inicio do 6º mês de gestação a mãe faça um teste oral de tolerância a glicose para checar se está tudo bem.

É possível controlar a diabetes gestacional por meio de uma orientação nutricional adequada e prática de atividade física, na intenção de reduzir os níveis glicêmicos. Para as gestantes que não chegam a um controle adequado apenas com a dieta e exercícios é recomendado o uso da insulinoterapia, que é segura durante a gestação.

 

REFERÊNCIA -

BRASIL. Ministério da Saúde – Diabetes – Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/diabetes/

BRASIL. Ministério da Saúde – Novembro Azul – Mês de conscientização sobre a saúde do homem – Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/novembro-azul-mes-de-conscientizacao-sobre-a-saude-do-homem/

BRASIL. Agência Senado. Novembro Azul recomenda exames da próstata para prevenção de câncer, 2022. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/infomaterias/2022/11/novembro-azul-recomenda-exames-da-prostata-para-prevencao-de-cancer

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018 / Organização José Egídio Paulo de Oliveira, Renan Magalhães Montenegro Junior, Sérgio Vencio. -- São Paulo : Editora Clannad, 2017.

Fim do conteúdo da página