Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > UFSB Ciência > Pesquisa avaliou a sustentabilidade de materiais alternativos para a construção de habitações populares
Início do conteúdo da página

Pesquisa avaliou a sustentabilidade de materiais alternativos para a construção de habitações populares

Escrito por Heleno Rocha Nazário | Publicado: Quinta, 10 de Outubro de 2019, 17h46 | Última atualização em Sexta, 18 de Outubro de 2019, 16h05 | Acessos: 1593

moradia popular habitar brasil caline de jesus

Uma pesquisa da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) fez uma análise comparativa preliminar entre materiais convencionais e alternativos para a construção de habitações de interesse social (HIS), as moradias populares. Realizado pela bacharel em Ciências e atual acadêmica de Engenharia Florestal Calline Chaves de Jesus e com orientação da Silvia Kimo Costa, o plano de trabalho intitulado Avaliação preliminar do ciclo de vida dos materiais usados no processo construtivo da Habitação de Interesse Social (HIS) em Ilhéus, BA une preocupações ambientais, técnicas e sociais. 
 
A intenção do estudo era obter dados para uma abordagem de sustentabilidade arquitetônica, ou seja, propor forma de construção que custe menos dinheiro e que cause o mínimo possível de impacto ambiental, como o entulho formado por resíduos de materiais como tijolos e telhas, por exemplo.
Uma das casas do Habitar Brasil, reformada pelo proprietário (Foto: Calline de Jesus) 
 
O objeto empírico escolhido para o estudo pede esse tipo de atenção: trata-se de uma das obras do Habitar Brasil, programa de moradias populares de âmbito municipal em Ilhéus, no bairro Teotônio Vilela, em Ilhéus. As obras não foram concluídas e parte das estruturas incompletas estão em degradação. De um total de 256 moradias planejadas para atender a um público com renda entre 0 e 3 salários-mínimos, 153 estão ocupadas, tendo passado por reforma ou reconstrução, e 103 estão abandonadas.
 
O plano de trabalho desenvolvido por Calline está vinculado a um projeto de pesquisa maior, chamado Habitações de Interesse Social e Sustentabilidade: estudos de tipologias arquitetônicas, eficiência energética e avaliação do ciclo de vida dos materiais, coordenado pela professora Sílvia, e foi apoiado com uma bolsa de iniciação científica pelo Programa de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação (PIPCI) no ciclo 2018-2019. Além do Congresso de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação (CIPCI), o estudo rendeu a publicação em artigo completo no URBBA 2019 e conta com a contribuição (co-autoria) da professora Lilian Mara Sales Buonicontro, do Centro de Formação em Tecnociências e Inovação (CFTCI).
 
A professora Sílvia Costa explica os detalhes do trabalho para o UFSB Ciência.
 

 

De que trata a pesquisa?

A pesquisa trata da sustentabilidade arquitetônica em Habitações de Interesse Social (HIS), considerando estratégias que possibilitam eficiência energética e redução do impacto ambiental advindo do processo construtivo. As HIS são edificações destinadas à população que se enquadra no Déficit Habitacional Quantitativo e que se encontra em situação de extrema vulnerabilidade social e habitacional.

Uma das estratégias de sustentabilidade arquitetônica é a seleção de materiais com base na avaliação do ciclo de vida. No caso específico do plano de trabalho, a ideia foi realizar uma análise preliminar comparativa entre materiais que convencionalmente vêm sendo utilizados para construção das HIS e materiais alternativos, alguns abundantes na região do Litoral Sul da Bahia, como bambu.

Como objeto de estudo foi escolhida uma das habitações de um conjunto habitacional construído por meio do Programa Habitar Brasil, no bairro Teotônio Vilela em Ilhéus, BA. Foram selecionados materiais utilizados como elementos de vedação (paredes), esquadrias (portas e janelas) e cobertura (telhados).

A análise foi realizada por meio do Software Cambridge Engineering Selector (2018) com Eco Audit e considerou as seguintes variáveis: a) pegada de CO2, uso da água e energia incorporada durante o processo de produção primária do material; b) durabilidade e c) fim do ciclo de vida.

Os materiais selecionados para análise foram:

Paredes: convencional - tijolo cerâmico ou blocos de concreto/ alternativo – painéis de vedação confeccionados com bambu.

Esquadrias: convencional – alumínio/ alternativo – madeira de manejo sustentável.

Cobertura: convencional – cerâmico ou fibrocimento/ alternativo – taubilha de madeira de manejo sustentável.

 

Qual a contribuição dos resultados obtidos no plano de trabalho para o avanço do projeto?

O referido plano de trabalho cumpriu uma das etapas da pesquisa intitulada Habitações de Interesse Social e Sustentabilidade: estudos de tipologias arquitetônicas, eficiência energética e avaliação do ciclo de vida dos materiais, contemplada no Edital Universal CNPq de 2016 (Processo: 402387/2016-3) e sob minha coordenação.

Tal pesquisa objetiva estudar tipologias habitacionais (arquitetura, aspectos construtivos e materiais) voltadas para população de baixa renda, que se adequem às características “biogeoclimáticas” do Estado da Bahia e que considerem a eficiência energética e as peculiaridades da Arquitetura Vernacular baiana. Nota-se então, que há uma interface entre o presente plano de trabalho e o plano de trabalho referente ao estudo da Arquitetura Vernacular no Litoral Sul da Bahia, que também se encontra em andamento.

Os resultados do plano de trabalho, que trata da avaliação preliminar dos materiais para Habitações de Interesse Social, contribuem para mostrar que a utilização de materiais alternativos (naturais) minimiza consideravelmente o impacto ambiental advindo do processo construtivo das habitações.

 

Como foi feita a pesquisa?

A pesquisa compreendeu três etapas:

Durante a primeira etapa foi realizada a visita técnica ao conjunto habitacional para escolha de uma das habitações. Fez-se o registro fotográfico da edificação selecionada, o cadastro de seus ambientes (medições dos espaços) e a descrição dos materiais utilizados para construção.

A segunda etapa envolveu a consulta ao memorial descritivo e à planilha de quantitativos de materiais existentes que foram elaborados antes da construção da habitação. Essa consulta serviu para averiguar quantos m² de alvenaria, esquadrias e telhado foram utilizados. Com base nesses quantitativos, calculou-se a quantidade de painéis de bambu, madeira para esquadrias e madeira para as taubilhas necessária para construção da referida habitação.

Durante a terceira etapa, esses quantitativos foram lançados no Cambridge Engineering Selector (2018) para a análise comparativa.

 

Qual a importância do tema de pesquisa?

Estudos que comprovam a importância da sustentabilidade arquitetônica, por meio de estratégias que promovem eficiência energética em Habitações de Interesse Social, são extremamente relevantes: não só interferem diretamente no conforto ambiental dos ambientes e consequente bem-estar e qualidade de vida dos usuários, como possibilitam redução dos impactos ambientais advindos do processo construtivo habitacional em larga escala.

 

O que os resultados informam?

Os resultados mostraram que é viável, do ponto de vista ambiental, a utilização de materiais alternativos (que sejam naturais e de abundância local) a materiais convencionais para construção de Habitações destinadas a atender a parcela da população que se enquadra em situação de extrema vulnerabilidade habitacional.

Equipe responsável pela pesquisa:

Coordenação: Drª. Silvia Kimo Costa, professora adjunta do Centro de Formação em Ciências Agroflorestais da UFSB.

Bolsista: Calline Chaves de Jesus. Bolsista de IC 2018-2019. Bacharel Interdisciplinar em Ciências e discente do curso de Engenharia Florestal da UFSB.

registrado em:
Fim do conteúdo da página