Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > UFSB participa de parceria com universidades no desenvolvimento do Projeto Budiões
Início do conteúdo da página

UFSB participa de parceria com universidades no desenvolvimento do Projeto Budiões

  • Publicado: Terça, 23 de Fevereiro de 2021, 11h02
  • Última atualização em Terça, 23 de Fevereiro de 2021, 11h02
  • Acessos: 309

O Projeto Budiões é uma iniciativa de pesquisa e extensão (através de ações socioambientais), criada a partir da colaboração de grupos de pesquisa de sete universidade públicas brasileiras que realizam estudos em prol do entendimento e da conservação dos ambientes recifais e dos organismos que habitam esses ecossistemas. A partir de uma série de artigos e trabalhos acadêmicos realizados por esses pesquisadores, observou-se a necessidade de aprofundamento de ações voltadas para um grupo de peixes singular e colorido - os budiões, também conhecidos como peixes-papagaio.

Os budiões são espécies chave para os ambientes recifais pois, desenvolvem funções únicas como bioengenheiros dos recifes, controlando o crescimento e a proliferação de algas e reciclando nutrientes. Pela sua função na manutenção do frágil equilíbrio dos ambientes recifais, e pelo crescente decréscimo de suas populações, esses peixes se tornaram o foco do Projeto Budiões.

Assim, em 2019 deu-se início ao Projeto Budiões que, após um período inicial com foco em ações digitais, devido à pandemia e recomendação para isolamento social, aos poucos o projeto inicia suas atividades presenciais pelas saídas a campo com o objetivo de coletar dados e adquirir conhecimentos científicos que auxiliem na conservação dos ambientes recifais e dos budiões.

Com o patrocínio Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, novas perspectivas e ações para a Conservação, Educação Ambiental e Pesquisa Científica são realizadas nas sete áreas de atuação do projeto: Bahia, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pernambuco, Alagoas, Maranhão e Rio Grande do Norte.

Os principais compromissos do projeto são: integrar pessoas, realizar pesquisas e monitoramentos e propor e implantar políticas públicas para que a conservação dos budiões e dos ambientes recifais aconteça de fato.

Acreditando na necessidade da pesquisa científica e no envolvimento fundamental das universidades em ações de conservação, o Projeto Budiões é desenvolvido pelo Instituto Nautilus de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade em parceria com uma rede de pesquisa formada por professores e laboratórios da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB); Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); Universidade Federal Fluminense (UFF); Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e Universidade Estadual Santa Cruz (UESC).

O Projeto Budiões tem como objetivos principais: 1. produzir conhecimentos científicos sobre a biologia e ecologia destes peixes; 2. monitorar a atividade pesqueira voltada aos budiões; 3. sensibilizar crianças, jovens e adultos sobre a importância dos budiões para os habitats coralíneos, através da formação de professores-multiplicadores e da formação de agentes de turismo locais como multiplicadores ambientais; 4. incentivar o desenvolvimento junto às comunidades envolvidas através de atividades como o turismo subaquático, promovendo a capacitação para o turismo de base comunitária e 5. subsidiar políticas públicas.

Para alcançar os objetivos listados acima, nosso trabalho se divide nas seguintes ações:

-  Pesquisa científica:

Avaliação da estrutura populacional das espécies de budiões, através de censos visuais subaquáticos nos sete estados; Avaliação da estrutura e conectividade genética das populações ao longo da costa; Entender os padrões de ecologia trófica das espécies; Avaliar os padrões de movimentação e área de vida e a ocorrência e distribuição em ambientes profundos.

12

Figura 1 – Imagens de pesquisa embarcada e por mergulho do Projeto Budiões. Foto: Acervo Projeto Budiões.

 

-  Monitoramento pesqueiro:

Focado primariamente no banco dos Abrolhos, onde há alguns anos se registram os maiores desembarques e um esforço pesqueiro específico para estas espécies. Busca-se estabelecer um monitoramento pesqueiro participativo, onde os próprios comunitários serão monitores e coletores de dados dos desembarques. Além disso, pesquisas sobre o conhecimento ecológico local serão realizadas nas comunidades envolvidas nesta ação para promover o entendimento histórico da pesca dos budiões.

 

3

Figura 2 – Monitoramento pesqueiro. Foto: Acervo Projeto Budiões.

 

-  Educação ambiental:

Ações específicas desenvolvidas à partir de um plano de educação ambiental construído para o projeto e direcionada à 2 segmentos: professores da educação básica e agentes de turismo, que serão treinados para atuarem como multiplicadores ambientais.

-  Divulgação Científica:

Com ações de sensibilização e educomunicação, buscamos abordar todos os atores sociais envolvidos na proposta do Projeto Budiões, e o público em geral, através de redes sociais, participação em eventos, palestras, realização de oficinas e workshops temáticos. Trazendo temas atuais sobre conservação e impactos dos mares e oceanos e das principais descobertas e ações do projeto.

-  Incentivo e Capacitação para o turismo de base comunitária:

Buscando levar oportunidades econômicas às comunidades tradicionais que dependem da pesca dos budiões como sustento, de forma a minimizar o impacto da extração garantindo a  renda e sustentabilidade para estas famílias.

 

Veja mais Informações sobre as espécies-alvo do Projeto Budiões

 

Texto e fotos encaminhadas por Carlos Hackradt

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página